Arquivo da tag: Ubuntu

Passo a Passo para instalar um OTRS 3 completo no Ubuntu Server 11.04

A partir de uma instalação clean do Ubuntu. Vamos executar os seguintes comandos:

Vamos atualizar o sistema

sudo apt-get update
sudo apt-get upgrade

Vamos instalar a maior parte dos pacotes necessários pelo OTRS 3

sudo apt-get install otrs2 aspell-pt-br build-essential

Durante este processo, o servidor pedirá que você indique uma senha de Mysql para seu servidor. Coloque uma senha e anote-a!

O sistema também te perguntará se deseja configurar automaticamente a base de dados do OTRS. Eu escolhi que não (Configure database for otrs2 with dbconfig-common?)

Agora, removemos o OTRS 2 que não será necessário.

sudo apt-get remove otrs2

Vamos baixar o otrs para o servidor, descompactar e renomear sua pasta.

cd /opt
wget http://ftp.otrs.org/pub/otrs/otrs-3.0.10.tar.bz2
tar jcvpf otrs-3.0.10.tar.bz2
mv otrs-3.0.10 otrs

Instalando os módulos perl necessários:

sudo perl -MCPAN -e shell

Responda todas as perguntas com a resposta padrão que está entre “[]”. Quando surgir o prompt (cpan[1]>) digite:

install YAML
install Encode::HanExtra
install JSON::XS
install Net::LDAP

(aqui na instalação do Net::LDAP, quando perguntado se você deseja instalar um modulo opcional, responda sim (y))

install MKUTTER/SOAP-Lite-0.710.10.tar.gz
exit

Criando os arquivos de configurações

sudo rm /etc/apache2/conf.d/otrs2
sudo cp /opt/otrs/scripts/apache2-httpd.include.conf /etc/apache2/sites-available/otrs
sudo cp /opt/otrs/Kernel/Config.pm.dist /opt/otrs/Kernel/Config.pm
sudo a2ensite otrs
sudo apache2ctl restart

Arrumando permissões:

sudo usermod -a -G nogroup otrs
sudo usermod -a -G www-data otrs
cd /opt/otrs/bin
sudo ./otrs.SetPermissions.pl /opt/otrs --otrs-user=otrs --web-user=www-data --otrs-group=nogroup --web-group=www-data

Finalmente, acesse o instalador do OTRS via Web, de um outro computador que tenha um navegador:

http://seu_servidor_ou_ip/otrs/installer.pl

Siga o passo a passo apresentado na tela. Neste método, você vai precisar da senha do servidor de banco de dados que você instalou e anotou 🙂

Acessando o Internet Banking Santander pelo Ubuntu

Um passo a passo bem resumido:

  1. Abra a Central de Programas do Ubuntu
  2. Pesquise pelo termo “jre”
  3. Remova o “Runtime do OpenJDK Java 6”
  4. Instale o “Sun Java(TM) Runtime Enviroment (JRE) 6 (architecture independent files)” (pacote sun-java6-jre)
  5. Instale o “Java(TM) Plug-in, Java SE 6” (pacote sun-java6-plugin)
  6. Reinicie o Firefox e acesse o site do Santander
  7. Digite as informações de sua conta, clique no seu nome
  8. Siga o passo a passo para instalar o modulo de segurança do Banco.

Aqui funcionou 🙂 Um motivo a menos pra ter Windows na máquina.

Ubuntu 11.04 no Dell Vostro 3450 com placa Radeon 6330M – parte 2

Este post substitui as dicas que dei no primeiro post relacionado ao assunto. Naquele post, a dica para inicializar o laptop era desativar um recurso chamado modeset, colocando uma flag na inicialização do sistema “radeon.modeset=0”.

O problema é que desativando este recurso, o laptop fica um pouco mais lento e alguma funções adicionais do sistema param de funcionar.

A segunda solução que encontrei, e a melhor até agora, é a seguinte:

Depois de instalado, para realizar o primeiro boot com o sistema, na tela de escolha do sistema operacional (o famoso Grub), pressione “e”. Uma tela de edição abrirá. Digite no fim da linha onde está o parametro quiet splash (ou algo assim):
radeon.modeset=0

Pressione Crtl+X e o sistema inicializará.

Em seguida, vamos impedir o carregamento automático da placa de video Radeon adicionando-a num blacklist de modulos que são reconhecidos automáticamente. No terminal, digite:

sudo gedit /etc/modprobe.d/blacklist.conf

Na ultima linha do arquivo, escreva o seguinte:

blacklist radeon

Salve o arquivo. Em seguida, vamos fazer com que o modulo seja carregado posteriormente a inicialização básica do sistema. No terminal digite:

sudo gedit /etc/rc.local

Após a linha “# By default this script does nothing.” digite o conteúdo abaixo:

modprobe radeon
chown root:plugdev /sys/kernel/debug/vgaswitcheroo/switch
echo OFF > /sys/kernel/debug/vgaswitcheroo/switch
exit 0

Salve o arquivo e reinicie o computador. Isso deve ser o suficiente para que o sistema suba da maneira correta, sem desativar o modeset da placa.

Ubuntu 11.04 no laptop Vostro 3450 com placa gráfica Radeon 6330M HD

ESTE POST ESTÁ DESATUALIZADO. VEJA ESTE POST POR FAVOR.

Um dos problemas de se adquirir um equipamento novo e utilizar o Ubuntu como distribuição, é que geralmente, falta um módulo ou outro que funcione 100% como deveria. Nada grave, a gente contorna e ajuda a desenvolver a integração por completo.

Por enquanto, tive algumas dificuldades na utilização do Vostro 3450 com a placa gráfica 6330M HD da AMD (Radeon). Trata-se de uma tecnologia bem recente que utiliza duas placas de vídeo no mesmo laptop, uma de baixo processamento e outra para graficos mais complexos. Este recurso ainda não está super bem resolvido nos kernels atuais.

Enquanto isso, para rodar o ubuntu neste laptop, é necessário desativar um recurso relativo à esta comutação entre as placas.

Para instalar o Ubuntu, logo que você realiza o boot, acesse as opções de Boot navegando com as setas do teclado e escolha a opção “nomodeset”.

Depois de instalado, para realizar o primeiro boot com o sistema, na tela de escolha do sistema operacional (o famoso Grub), pressione “e”. Uma tela de edição abrirá. Digite no fim da linha onde está o parametro quiet splash (ou algo assim):
radeon.modeset=0

Pressione Crtl+X

O sistema irá bootar. Essa configuração não é permanente. Para torná-la, após iniciar seu sistema pela primeira vez, edite o arquivo de configurações do grub. Abra o terminal e de o comando:

sudo gedit /etc/default/grub

e modifique a linha

GRUB_CMDLINE_LINUX_DEFAULT=”quiet splash”
para

GRUB_CMDLINE_LINUX_DEFAULT=”quiet splash radeon.modeset=0″

Salva o arquivo, feche o Gedit e rode o seguinte comando:

sudo update-grub

Pronto! Infelizmente, essas modificações diminuem o desempenho da parte gráfica deste laptop. Se algum tiver uma nova dica para habilitar corretamente esta placa de video no Ubuntu, por favor deixe seu comentário! 🙂

O sistema que instalei, foi o Ubuntu 11.04 64 bits.

Uma boa maneira de usar o Firefox no Ubuntu 10.10 para netbooks

O Ubuntu 10.10 netbook vem com um novo conceito de utilização da área da tela. Ainda não entendi bem as vantagens de usabilidade deste novo formato, pois ele mantém fixa na lateral esquerda uma barra de aplicativos que lembra os antigos docks de gerenciadores de janela como o Winwdow Maker. Veja uma captura da tela que fiz dele rodando em meu notebook:

O gerenciamento de janelas é agora feito pelo Unity. Essa barra lateral esquerda ainda não vem com um auto hide, então os software acabam perdendo alguns pixels da tela. Isso é um problema para os navegadores já a maioria dos sites são montados em 1024 pixels atualmente e para ter uma visualização legal deles nesta nova versão do Ubuntu, é necessário utilizá-los em modo tela cheia, pressionado a tecla F11.

Com isso temos um outro problema. Em modo tela cheia, os navegadores escondem as barras de abas e ferramentas. Existe no entando uma forma de inibir esse “auto hide” de barras no Firefox.

Para isso, digite na barro de endereços o seguinte: “about:config” (sem as aspas)

Em seguida, clique em “Serei cuidadoso, prometo!”

Procure pela chave “browser.fullscreen.autohide” e a defina com o valor “false”.

Você pode também instalar a extensão “Hide GUI Bars” para ocultar e voltar a exibir as barras do browser através de uma tecla de atalho que você pode definir.

Uma outra sugestão é deixar o firefox com uma cara de Chrome. Para isso você instalar os seguintes complementos:

O tema Chromifox Extreme Carbon

A extensão Hide Menubar

Experimente 🙂

Plugin do Flash não funcionando no Chrome no Ubuntu 10.04

Parece que o Chrome para Ubuntu já vem com um Plugin Flash Player instalado. Infelizmente ele estava com algum pau pois sempre travava o navegador quando eu abria algum video do youtube e alguns outros flashs.

Pra concertar, abri o firefox e instalei o plugin oficial da Adobe por lá, abrindo um site qualquer que contenha flash, tal como o http://charges.uol.com.br

Depois de instalar o plugin oficial, abri o Chrome novamente e acessei a seguinte URL:
chrome://plugins/

Finalmente, desativei o plugin do Chrome, o que está na localidade “/opt/google/chrome/libgcflashplayer.so

Compartilhamento de arquivos pessoais – Ubuntu 10.04

Não sei exatamente por que, mas o compartilhamento de arquivos pessoais no Ubuntu vem desabilitado. Para habilitar, é necessário instalar 2 pacotes com o seguinte comando:

sudo apt-get install apache2.2-bin libapache2-mod-dnssd

Verifiquei isto neste site:

http://macpablodesigns.wordpress.com/2010/05/01/enable-personal-file-sharing-in-ubuntu-10-04/

Como compartilhar internet no Ubuntu 10.04

Vou descrever aqui uma forma simples e sem entrarmos muito na linha de comando (só um pouquinho) para compartilhar a internet no Ubuntu 10.04, usando o aplicativo firestarter.

Os tutoriais que havia feito até agora sobre compartilhamento de Internet no Ubuntu através de scripts, conflitavam com o mini aplicativo de gerenciamento de rede nativo do Ubuntu. O Firestarter por sua vez, parece não conflitar 🙂

O Firestarter é um aplicativo de firewall, mais precisamente uma interface gráfica para os aplicativos iptables e iprules que são “nativos” do linux.

1o passo – Conecte-se à internet

A primeira coisa a fazer é se conectar à internet. No meu exemplo, vou me conectar à internet através da minha placa de rede sem fio (wlan0). Isso você faz normalmente através do mini aplicativo de gerenciamento de rede que fica na barra de tarefas ao lado do relógio.

2o passo – Instale o Firestarter e mais umas coisinhas 🙂

Depois de se conectar na internet, abra um terminal (no Ubuntu é só preciosar Crtl+Alt+T) e instale o firestarter e o servidor de DHCP com o seguinte comando (digite sua senha se solicitada):

sudo apt-get install firestarter dhcp3-server

Se você receber algum erro durante a instalação do pacote dhcp3-server, não se preocupe, ignore.

Infelizmente o firestarter não é um aplicativo mantido no Ubuntu pela Canonical, então não é completamente compatível com o mesmo e precisaremos fazer alguns ajustes para que o firestarter funcione bem nesta distribuição. São apenas dois comandos, para que ele possa identificar o servidor de DHCP:

sudo ln -s /etc/init.d/dhcp3-server /etc/init.d/dhcpd
sudo ln -s /usr/sbin/dhcpd3 /usr/sbin/dhcpd

Pode fechar o terminal agora! Não abra o firestarter ainda!

3o passo – Configure a interface de rede local

Novamente no mini aplicativo de gerenciamento de rede do Ubuntu, vamos configurar a interface de rede local, ou seja, aquela que está conectada ao(s) computador(es) que se conectarão à internet através do seu.

Clique com o botão direito em cima do mini aplicativo e escolha “Editar conexões…”

Vá para a aba que define o tipo de sua conexão com a rede local (Com fio ou Sem fio). No meu caso, a rede local é com fio, pois estou compartilhando a internet com um computador conectado ao meu através de um cabo crossover.

Clique em Adicionar para criar um novo perfil de conexão para este dispositivo.

No campo “Nome da conexão“, defina um nome para a mesma. Eu coloquei “Conexão local com IP Fixo“.

Depois vá para a aba “Configurações IPv4” e no campo Método, escolha Manual.

Em Endereços, clique em Adicionar. No campo Endereço digite 192.168.0.1, no campo Máscara de rede digite  255.255.255.0. Deixe o campo Gateway em branco. A tela ficar assim:

IMPORTANTE: Se sua conexão de rede local for Sem fio, será necessário criar uma rede local AdHoc. Para isso, antes de clicar em Aplicar, volte à Aba “Sem fio“. No campo SSID, coloque o nome da rede sem fio que você quer criar, pode ser qualquer um! No capo Modo escolha Adhoc. Pronto! Se você quiser mais tarde, pode colocar senha para sua rede local na Aba Segunraça sem fio, mas não vamos fazer isto agora!.

Finalmente, clique em Aplicar.

Clique em cima do mini aplicativo de gerenciamento de rede e ative a conexão que você acabou de criar clicando em cima dela.

4o passo – Configurar o Firestarter.

Inicie o firestarter em Aplicativos -> Sistemas -> Administração -> Firestarter

Você será guiado em um wizard de configuração de rede. Clique em Avançar na tela de boas-vindas.

Na segunda tela, escolha seu dispositivo de rede conectado à internet. No meu caso é a rede sem fio (wlan0). Também no meu caso, o endereço de rede é obtido através de DHCP então marquei a ultima opção da tela. Se você não sabe o que é DHCP ou está em dúvida, marque esta opção! Clique em Avançar novamente.

Clique em “Habilitar o compartilhamento de conexão a internet” e escolha seu dispositivo de rede local. No meu caso é o eth0 (rede com fio)

Marque também a opção “Habilitar DHCP para rede local” e clique em “Detalhes do servidor DHCP”. Marque a opção “Criar nova configuração de DHCP” e mantenha os valores sugeridos pelo firestarter. Clique em Avançar!

Marque a opção “Start firewall now” e clique em “Salvar”.

Pronto!

Toda vez que você quiser compartilhar sua conexão, habilite as conexões envolvidas no mini aplicativo de rede, abra o firestarter e o ative.

Você pode criar outros tipo de compartilhamento no menu Editar -> Preferencias do Firestarter.

O fórum abaixo está aberto para você deixar seu comentário e sanar os de outras pessoas também. Valeu 🙂